Clima frio pode provocar a sensação de depressão

Coordenadora do curso de Psicologia da Anhanguera explica como o inverno pode proporcionar o sentimento de tristeza em algumas pessoas

Manhãs geladas são difíceis por si só. Levantar da cama em dias frios parece exigir um esforço maior do que o comum e o desejo de ficar em repouso aumenta. A sensação de tristeza é recorrente quando as temperaturas abaixam e o fenômeno é denominado por especialistas como depressão sazonal de inverno ou transtorno afetivo sazonal (TAS). A experiência é comum em países de clima temperado, mas também pode ser vivenciada em regiões tropicais.

De acordo com a coordenadora do curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera, professora Franciana Figueiredo dos Santos, os principais fatores que provocam essa situação são a ausência de luz e o distanciamento social. “A depressão sazonal costuma ter fim tão logo o verão inicie, mas o apoio de familiares e amigos também é fundamental. E como cada organismo tem o seu próprio ritmo, em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicamentos para regularizar os níveis de serotonina no cérebro”, enfatiza a acadêmica.

Com longas frentes frias e céu nublado, há aumento na produção de melatonina no organismo, hormônio que atua na indução do sono e mantém o padrão noturno de sonolência nas pessoas. A baixa luminosidade solar dificulta, também, a absorção da Vitamina D, relacionada ao combate de sintomas depressivos, além de diminuir os níveis de serotonina e de dopamina no corpo, neurotransmissores responsáveis pela sensação de felicidade e capazes de regular as atividades cerebrais.

O paciente que sofre com o transtorno pode apresentar alterações de humor ou de sono (insônias ou repouso prolongado) durante o outono e o inverno, além de variações no apetite, fraqueza, irritabilidade e pouca motivação para atividades comuns da rotina doméstica ou do trabalho. Segundo a ONG Mental Health America, o quadro é mais comum em mulheres, que representam 4 a cada 5 diagnosticados, e em adultos entre 20 e 30 anos.

TRATAMENTO
Como explica a professora Franciana, a psicoterapia com estratégias fototerápicas (exposição à luz artificial) pode amenizar os sintomas do TAS, pois suprimem a secreção de melatonina do cérebro e ajudam a aumentar a disposição dos indivíduos. “A técnica pode ser aplicada durante todos os períodos do ano para evitar que o transtorno se repita nas estações frias seguintes”, afirma a psicóloga.

Adotar um estilo de vida saudável, com a prática de atividades físicas e boa alimentação, regula a produção hormonal no organismo e diminui as chances de desenvolver problemas emocionais, assim como simples hábitos como deixar as janelas abertas para entrada da claridade, por exemplo. “A depressão já era considerada mal do século antes da Covid-19, depois dela os casos tendem a aumentar. Por isso, é preciso que todos estejam atentos a qualquer sintoma diferente, seja no inverno ou verão. Se houver tristeza prolongada, irritabilidade, desânimo, falta de concentração etc., o indicado é procurar por um profissional qualificado para o tratamento adequado”, finaliza a coordenadora.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dez − 5 =